Pacientes graves recebem alta da UTI do Hospital de Campanha de Rondônia curados da Covid-19 e emocionam equipe médica

Pacientes graves recebem alta da UTI do Hospital de Campanha de Rondônia curados da Covid-19 e emocionam equipe médica
Pacientes graves recebem alta da UTI do Hospital de Campanha de Rondônia curados da Covid-19 e emocionam equipe médica

Pacientes recebem alta e o carinho da equipe médica.

O choro hoje foi de alegria. Pacientes, familiares e profissionais do Hospital de Campanha de Rondônia, em Porto Velho, celebraram a vida na segunda-feira (6), com mais duas altas de pacientes graves que estavam entubados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e, agora, recuperados da Covid-19.  Depois de dez dias internados no hospital, Mariano dos Santos, 64 anos, e José Luiz Correa, 67, receberam a alta e o abraço da família.

“Sem fé nós somos como as árvores sem raízes, não nos sustentamos, porque é de Deus que vem nossa vitória. Muito obrigado aos médicos e a toda equipe que fizeram de tudo por mim. O tratamento que eles oferecem é de amor e carinho. Só tenho a agradecer”, disse, emocionado e com lágrimas nos olhos, o paciente recuperado Mariano dos Santos.

Entregue à população no último dia 24, o Hospital de Campanha de Rondônia vem oferecendo um serviço humanizado e de alta qualidade, já contando com 30 leitos. É o que reforça o outro paciente recuperado, Luiz Correa. “Agradeço a Deus, em primeiro lugar, e também o secretário Fernando Máximo e o governador Marcos Rocha por entregar este hospital que foi feito para salvar vidas. Tudo aqui é digno de elogios e agradecimentos”, enfatizou.

REENCONTRO

A emoção começou ainda no corredor da unidade, mesmo em tempo de distanciamento, familiares se abraçaram e comemoraram a vida

Ansiosa e com muita saudade do esposo Mariano, Eliane de Jesus, moradora da zona rural de Porto Velho, falou que a imagem dele sendo internado não saia de sua cabeça, mas que nunca esmoreceu na fé. “Os primeiros-socorros foram através da médica do posto de saúde da linha onde moramos. Quando ela viu meu marido naquele estado, disse que precisava enviar ele à cidade para que fosse internado. Segurei nas mãos dele e vim junto. Quando chegamos aqui no hospital, vi meu marido indo e aquela imagem me entristeceu. Parecia que ele estava indo embora, logo ele foi entubado e não o vi mais desde então”.

Eliane contou ainda que teve muita fé de que veria seu marido novamente. “Se não fossem os médicos, não estaríamos aqui hoje para receber ele. Estou morrendo de saudade do meu velho, tenho costume de dormir com ele e nesses dias não dormi bem, a saudade só aumentava. Nossos filhos estão todos em casa aguardando a chegada dele. Oro todos os dias pelos profissionais que estão na linha de frente nesse trabalho, sei que é difícil”, pontuou.

NOVA AMIZADE

Os dois pacientes se conheceram assim que acordaram do coma induzido. Quando chegaram no apartamento, tornaram-se confidentes e a promessa é de um reencontro longe dos leitos do hospital.

“Não conhecia o Marino, mas sei que ganhei a minha saúde de volta e, junto, um amigo. Assim que puder, quero rever ele e conhecer seus familiares. Muito obrigado por ouvir minhas histórias e compartilhar as suas”, relatou José Luiz com um sorriso largo por vencer a doença e conquistar um amigo de “batalha”.

SOBRE A UNIDADE

O Governo de Rondônia adquiriu por R$ 12 milhões o Hospital de Campanha, prédio de mais de 3.000 m2 de construção, equipamentos médicos e de UTI, mobiliários, terreno de 1.000 m2 para estacionamento em frente, centro cirúrgico com três salas, sala de RPA (Recuperação pós Anestésica) e tem capacidade para 80 leitos no total, podendo chegar a até 140 como hospital de Campanha na Pandemia.

O hospital possui como diferencial uma usina de oxigênio que permite ofertar o mesmo em rede de forma contínua, sem a necessidade de cilindros (que são muito caros), o que gera economia de até 90% para o Estado. Veio ainda no pacote, uma grande ampliação das instalações e construção de alas novas, reforma geral com readequação de leitos, tudo isso incluído no contrato de compra e venda. No local, antigamente funcionava o hospital Regina Pacis. 

O Hospital de Campanha já está funcionando com 30 leitos e deve ampliar para mais de 100 nos próximos dias.


Fonte
Texto: Leandro Morais
Fotos: Leandro Morais
Secom - Governo de Rondônia