Plantão
Educação

Turma de magistério se reencontra 20 anos após formatura em Alvorada, RO

Publicado dia 14/02/2017 às 21h53min
Formados em 1996, amigos se viram em clube da cidade onde estudaram.'Tenho sensação de que faço parte daquela história', conta professora.

Uma turma de alunos de magistério decidiu se reencontrar mais de 20 anos depois da formatura em Alvorada do Oeste (RO), a 400 quilômetros de Porto Velho. O reencontro aconteceu depois de alguns amigos criarem um grupo em um aplicativo de celular e foi feito em um clube de Alvorada. Além dos ex-estudantes, quatro professores da época e os familiares participaram da reunião para colocar o "papo em dia".

A ideia de unir a turma de magistério novamente surgiu depois que alguns dos ex-alunos da da Escola Estadual de Ensino Fundamenta e Médio Santa Ana, de 1996, se encontraram nas redes sociais e montarem um grupo no WhatApp.

Com isso, eles começaram a fomentar a ideia deste reencontro não ficar apenas no virtual e decidiram marcar um encontro na cidade onde estudaram, em Alvorada do Oeste.  Para a ocasião, eles o grupo reservou um clube e dividiu as despesas do churrasco.

Há 19 anos como professora do estado, Rosângela Sebben, foi uma das pessoas que organizaram o encontro. Para ela, este momento é muito mais que apenas nostalgia.

"Este momento, de alguma forma, me conectou a menina que fui, numa época de incertezas e indefinições em relação ao futuro, que é o hoje. Reencontrar estes amigos depois de 20 anos é como reencontrar nosso referencial, um pedaço da nossa história. Vê-los bem, realizados, felizes e vencedores me encheu de alegria e permitiu continuar idealizando sonhos para o amanhã", acredita Sebben.

Foto mostra alunos de magistério em 1996 (Foto: Arquivo Pessoal)
Foto mostra alunos de magistério, em 1996, durante formatura (Foto: Arquivo Pessoal)

Durante o encontro, os ex-estudantes contaram histórias e reviverem os momentos de 20 anos atrás, quando estavam no magistério. Eles também puderam contar o que aconteceu de lá para cá.

"Vimos fotos, partilhamos histórias, contamos casos, relembramos festas memoráveis, momentos marcantes, viagens, fizemos confissões, agradecimentos e nos divertimos bastante. Testemunhamos a passagem do tempo no rosto e no relato de experiência de cada um”, conta Sebben.

Segundo Juliane Maria Nunes, a turma de magistério era muito unida e os alunos adoravam ir à escola. Na época ela tinha apenas 18 anos. "Hoje fico imaginando como pessoas de 18 anos estavam prontos para assumir sala de aula. Me lembro que quando foi para eu fazer estágio eu não gostei, pois os alunos me chamavam de tia", relembra.

Mesmo com a experiência não muito agradável para Maria, ela nunca mais abandonou as salas de aula.  Ela conta que a maior parte dos colegas de sala daquela época, seguiram a mesma carreira.

"Ver que os colegas, na grande maioria, continuam na área da educação, fazendo aquilo que o magistério nos proporcionou, nos ensinou a gostar de ser professor, foi incrível. Hoje a faculdade de pedagogia é muita teoria. A prática de sala de aula que se tem no curso do magistério é única", acredita Juliane.

Turma se reuniu em um clube, em Alvorada do Oeste (Foto: Arquivo Pessoal)
Turma se reuniu em um clube, em Alvorada do
Oeste (Foto: Arquivo Pessoal)

Aos 37 anos de idade, Joelma Oliveira, saiu de São Paulo (SP) para reencontrar os amigos de magistério em Rondônia. Ela lembra que ela foi a única de 10 irmãos que conseguiu terminar o segundo grau completo.

Joelma afirma que tinha outros planos e, depois que terminou o magistério, decidiu não dar aulas e foi para o ramo de decoração e também na administração de empresas.  Depois de um tempo cuidando da mãe, aprendeu música e hoje, utiliza o aprendizado do curso de magistério para dar aulas de órgão.

"Esse reencontro com a turma do magistério foi um reflexo do quanto é importante o estudo na vida do ser humano. O bom relacionamento e de respeito e amizade com os professores é grandioso para nós", afirma Joelma.

Professora rígida
A professora considerada a mais rígida da turma de magistério, Valeria Borges Ceron, hoje com 65 anos e aposentada, também esteve no reencontro dos ex-alunos. Ela lembra que na época a turma era bem equilibrada, com bagunceiros, mas muitos interessados.

"Na época, eles não tinham muita opção de cursos e nem todos se identificavam com o magistério. Mas a gente conversava e, alguns desses, até mesmo se tornaram professores hoje”, lembra Valéria.

A professora conta que recebeu o convite através de uma aluna e ficou bem ansiosa. No dia do encontro ela também levou os dois filhos, de 28 e 30 anos, que na época das aulas ainda eram crianças.

"Eu não tinha com quem deixá-los, o pai trabalhava muito. Os levava para sala comigo. Eles também fazem parte desta turma", brinca.  Para a professora, rever os alunos foi algo importante e gerou um sentimento de satisfação.

"Estou aposentada há oito anos. Quando eu os vi e quem eles são hoje, tenho a sensação de que faço parte daquela história. Eu me emocionei demais. Foi muito gostoso o reencontro", conta a professora.

Novo encontro
Depois da reunião, muitos professores e alunos que não puderam estar nesse encontro entraram em contato e já estão sendo adicionados ao grupo. Para manterem a amizade ao longo da vida, a turma já marcou uma nova reunião, que acontece daqui cinco anos, em 2022.

Amigos se reencontram 20 anos depois de terminarem magistério (Foto: Arquivo Pessoal)

Amigos se reencontram 20 anos depois de terminarem magistério (Foto: Arquivo Pessoal)

Fonte: Pâmela Fernandes/Do G1 Ji-Paraná e Região Central