Misteriosa cruz de mármore de 1.200 anos é encontrada no Paquistão

Misteriosa cruz de mármore de 1.200 anos é encontrada no Paquistão
Misteriosa cruz de mármore de 1.200 anos é encontrada no Paquistão

Neste mês, nas montanhas rochosas de Skardu, cidade na região de Gilgit-Baltistão no Paquistão, pesquisadores descobriram uma misteriosa cruz de 1.200 anos pesando até três toneladas. Uma equipe de três membros da Universidade do Baltistão, visitou o local onde a cruz foi encontrada.

“A enorme cruz de pedra de mármore pesando de 3 a 4 toneladas e medindo aproximadamente 2×1.80 metros foi encontrada a cerca de dois quilômetros do campo de base, no alto das montanhas de Kavardo, no Gilgit-Baltistão, com vista para o rio Indus”, disse a equipe em um comunicado à imprensa, em 14 de junho.

De acordo com estimativas iniciais, acredita-se que a cruz tenha entre 1.000 e 1.200 anos e poderia revelar mais informações sobre a presença do cristianismo na região.

“Isso precisa de datação por carbono e evidências científicas exatas, mas há muita emoção e muita divisão”, disse o professor Muhammad Naeem Khan, vice-chanceler da Universidade do Gilgit-Baltistão, de acordo com o The Telegraph.

Wajid Bhatti, que pesquisa cruzes cristãs antigas na Universidade Quaid-i-Azam, em Islamabad, entrou em contato com a universidade e disse que reconheceu o estilo da cruz.

Ele disse que a cruz é “uma típica Cruz Tomeniana da Índia”. Segundo a tradição cristã, o apóstolo Tomé foi quem levou o Evangelho para a Índia em 52 d.C.

De acordo com Bhatti, a cruz é uma das maiores já descobertas no subcontinente.

A Universidade do Baltistão disse que procurará universidades europeias e norte-americanas para ajudar a descobrir mais informações sobre a idade e a origem da cruz.

“É realmente uma ótima notícia para todos nós que uma cruz antiga foi encontrada em Skardu. Isso mostra que o cristianismo existia nessa área e devia haver uma igreja e casas de cristãos. Atualmente, não há famílias cristãs nessa área, mas elas já estiveram presentes”, disse Mansha Noor, diretora executiva da Caritas Paquistão.

“Peço que as autoridades: convidem historiadores internacionais para descobrir mais sobre a história exata desta cruz”, acresenta Noor.


Fonte:Conexão Política