Leite terá preço mínimo em Rondônia

Leite terá preço mínimo em Rondônia
Leite terá preço mínimo em Rondônia

 

Os valores ainda são o ideal, mas já garante melhor rentabilidade aos produtores.

Os produtores de leite de Rondônia estão conseguindo melhorar o preço vendido aos laticínios. Desde o dia 15 de maio, quando foi iniciada a mobilização estadual contra os preços pagos pelas empresas que, segundo os produtores, muito abaixo do custo de produção. Segundo Rui Barbosa de Souza, organizador da mobilização estadual, alguns produtores já conseguiram renegociar com preços entre R$ 1,05 a 1,45 por litro.

“Os produtores que tem menor volume estão juntando com os vizinhos e fazendo negociação em conjunto, melhorando os valores pagos”, afirmou. No início da mobilização, o preço pago pelas empresas no estado estava a R$ 0,80 o litro e anunciavam a redução para R$ 0,60 o litro, equivalente a quase a metade do custo estimado pelos produtores. 

Rui disse ainda que, a intervenção da Faperon (Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia) foi fundamental para estabelecer o diálogo entre os produtores com a Seagri (Secretaria de Estado da Agricultura) e com as empresas de laticínios. “O governo do estado passou a fazer o transporte dos calcários adquiridos pelos produtores e voltou a fazer ações em favor dos produtores de leite”, destacou.

Outra conquista anunciada é que o Conseleite, grupo técnico intergovernamental, estará estudando o custo de produção do leite em Rondônia, e mensalmente será estabelecido o preço mínimo para evitar prejuízos aos produtores. A Seagri trabalha a composição de uma legislação para regular o preço do leite no estado.

Em algumas regiões, os produtores continuam não fazendo a entrega de leite aos laticínios porque ainda não houve acordo em valores compensadores. O produto excedente vem sendo doado para a população carente. 

Veja vídeos dos produtores:  

Por RedaçãoDIÁRIO DA AMAZÔNIA