Ibama aplica o menor número de multas desde o ano 2000

Ibama aplica o menor número de multas desde o ano 2000
Ibama aplica o menor número de multas desde o ano 2000

O primeiro ano de governo do presidente Jair Bolsonaro já havia registrado a menor marca desde 2000.

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) registrou 2.518 autuações ambientais de janeiro a maio. É uma queda de 54% em relação ao mesmo período de 2019. O primeiro ano de governo do presidente Jair Bolsonaro já havia registrado a menor marca desde 2000.

O valor dos autos de infração caiu para R$ 390 milhões. No mesmo período de 2019, foi de R$ 1,06 bilhão. A queda foi de 63%.

Por orientação do Ibama, o Poder360 fez a comparação incluindo autuações que ainda não estão em processo de cobrança. Novas regras do fim de 2019 fizeram com que os autos demorem mais para entrar nessa fase.

Também de janeiro a maio, os alertas de desmatamento subiram 35% em comparação com o ano passado e chegaram a cobrir área recorde de 2.034 km². Os números apontam para uma nova alta da área desmatada. Em 2019, o Brasil registrou o maior desmatamento em 11 anos.

Uma das razões para a redução de fiscalização e, consequentemente, o aumento nos indicadores de desmatamento é a redução do número de fiscais do órgão ambiental. O Ibama perdeu metade do seu efetivo de fiscalização nos últimos anos. Saiu de 1.311 fiscais em 2010 para 591 no ano passado. O último concurso foi em 2009. Não há previsão de nova contratação.

Além de queda no quadro de funcionários, o Ibama diz ter havido no ano passado falta de colaboração da Polícia Militar do Pará, Estado responsável por 40% do desmatamento em 2019. O órgão ambiental enviou ofício ao Ministério Público depois de 7 negativas da polícia.

A pasta de Segurança Pública do Pará afirma que prestou apoio a diversas operações de combate ao desmatamento em 2019.

 

Poder 360