Homem invade casa da ex-companheira e acaba morto a tiros; mulher agiu em legítima defesa

Homem invade casa da ex-companheira e acaba morto a tiros; mulher agiu em legítima defesa
Homem invade casa da ex-companheira e acaba morto a tiros; mulher agiu em legítima defesa

Alessandro Pereira dos Santos, 27 anos, foi morto a tiros na noite de terça-feira (19), após invadir a residência da ex-companheira, Aline K. A. S. T., 35 anos, e tentar agredi-la. O caso aconteceu rua 8001, no residencial Alvorada, no município de Vilhena. A mulher reagiu e matou o homem em legítima defesa.

De acordo com informações apuradas pelo RONDONIAGORA, após receberem um chamado, os policiais foram até o local e encontraram Aline, na área externa da residência, com a roupa suja de sangue.

Aos policiais, ela disse que vinha sofrendo ameaças e perseguição por parte do ex-marido Alessandro, que era pai do seu filho mais novo. A mulher relatou a existência de ocorrência contra o homem.

Ela relatou ainda que já foi vítima de uma tentativa de homicídio a facada, praticada por Alessandro, inclusive tinha a marca do golpe desferido por ele em seu pescoço.

Por conta das ameaças que vinha sofrendo, e temendo pela própria vida e dos seus filhos, Aline disse que resolveu adquirir uma arma de fogo, calibre 38 por R$ 4 mil.

Conforme relatos da mulher, seu filho mais novo estava com o pai desde o último domingo, e por isso ela resolveu sair um pouco e tentar conhecer uma nova pessoa.

Chegando em casa

Antes de ir até a residência, Alessandro ligou inúmeras vezes tentando localizar Aline, mas ela não atendeu. No momento em que a mulher estava chegando em sua própria casa, ela avistou o ex-marido em uma esquina, antes da residência.

Rapidamente, Aline entrou correndo na casa e gritou para os filhos, que estavam no local fecharem a porta. Foi quando ela pegou a arma de fogo que estava guardada.

Alessandro invadiu a residência arrebentando a grade da porta de entrada com as próprias mãos e foi em direção a ex-esposa.

Para se defender, a mulher efetuou disparos contra Alessandro, que morreu no local. Baleado, Alessandro caiu em cima de Aline.

Desesperada, Aline escondeu a arma em um terreno baldio, com medo de familiares da vítima. Com a chegada da PM, ela entregou o revólver para a equipe policial.

Minutos depois, familiares da vítima chegaram ao local, e mesmo com a presença da Polícia, ameaçaram Aline.

Questionados com quem teria ficado o filho de Aline, que estava sob responsabilidade de Alessandro, os familiares da vítima negaram estarem com a criança.

No caminho para a delegacia, com Aline sendo conduzida, os policiais passaram na casa de Alessandro, onde encontraram na rua, nas proximidades da casa da vítima, uma mulher que se apresentou como namorada de Alexandro.

Dentro da residência, os policiais encontraram o filho de Aline dormindo sozinho e sem nenhum familiar próximo. A criança também foi levada para a sede da Polícia Civil junto com a mãe.

Na delegacia, o delegado entendeu que a ação de Aline é bem definida pelo Código Penal como legítima defesa, uma vez que havia sido ameaçada e agredida pelo homem, usou os meios necessários para conter “iminente agressão à sua vida”